22 maio 2007

CANÇÃO

No meio do caminho
tem um caminhão,
um caminhão bem grandão
parado no meio do caminho.

O motorista João,
deitado na rede,
dorme sonhando
com um prato de feijão.

Mas o caminhão
parado no meio do caminho
com o pneu furado
não carrega feijão.

O caminhão grandão
carrega um monte de caixas
cheias de frutas:
abacaxi, laranja, melão.


(em A MAGIA DO BRINCADEIRO)

5 comentários:

Izelda Maia disse...

Bom dia, Mário!

Lendo o post, relembrei uma cena que vi certa vez bem aqui na minha cidade.

Abraço, poeta.

sandra camurça disse...

Gosto muito do jeito como você escreve, rapaz. Sempre lúdico, naturalmente, um brincadeiro.
Beijo.

My ra disse...

...a criança que há em mim te ADORA!!!!! Parabéns pela tua LUZ!!! Beijos

Põe Zinha disse...

que triste, triste cena
este poema tem.
tem jeito isso,
poeta pirata?
tem?

não sei se tem.

mas eu quero dar um jeito nisso,
pelo menos no isso
que me cabe fazer.

amém

Fabiano Franz disse...

Muito bons seus trabalhos! Gostaria de indicar um site para todos que gostam de escrever:

literar.org

Bom proveito, um abraço!