16 janeiro 2007

CIRCENSE

foto: Luis Ventura

a terra espicha pernas
o rio coça o umbigo
as espinhas
murmuram as espinhas
do rosto da negra parteira
é guri
e vai ser manhoso
(no princípio de mim, enfim)
era eu a sede da terra
que era mulher
era eu a fome do rio
que era homem
fui parido no ato circense
fui nascido palhaço
sou homem
não sou poeta
sou a grande lorota
e isso é poema
por debaixo do pano

4 comentários:

LuisVentura disse...

Mário, que puta sensação. A foto do CLOW protugues é uma das minhas prediletas. Dai me deparo com esse maravilhos poema junto dela. OU ela junto do poema.... sei lá...
Obrigado, parabéns. Continue esses cara lindo que és. Precisamos de gente assim nesse planetóide habitado por esses humanóides....
Bj no coração...e FREE HUGS... don't forget... LuisVentura

Ed disse...

Mario,

Ganhei de uma amiga um cartao feito por ti. Agora descobri o blog por um outro amigo. Tuas respiradas do ar do mundo me deixaram de pulmão aberto, lindo mesmo. O Galope é beleza pura, odara. Segue respirando! FREE HUG pra vcs tb!

Ed

rosella disse...

Oi Mario,
buonasera!
no meu blog (bottega27.splinder.com) tem una traducao de um poema de voce, que adorei. e tambem para o video do free hughs. linda historia. lindissima.
free hughs (em italiano
"abbracci gratis") pra voce da italia.
rosella

rosella disse...

Querido Mario,
estou muito feliz que voce lembrou de me!
no meu blog tem dois post con poemas de voce:
http://bottega27.splinder.com/post/6337148
http://bottega27.splinder.com/post/6144447

baci!
rosella